Uma grande expectativa corre sobre os moradores do município de Camamu, no Baixo Sul da Bahia, perante as eleições que acontecem no próximo dia 1º de setembro.

A principal pauta nas rodas de conversas, das mais diversas esquinas, é a continuidade do indeferimento da candidatura de Ioná Queiroz pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia – TRE/BA, pois, segundo juristas, o juiz da 78ª Zona Eleitoral, José Ayres, haveria ‘amarrado’ a sua decisão em diversos pontos, o que deixaria os desembargadores em situação de impossibilidade de atendimento ao recurso da ex-prefeita cassada no último dia 4 de junho pelo Tribunal Superior Eleitoral – TSE.

Enquanto isso os outros três candidatos seguem realizando suas campanhas normalmente, pois foram declarados aptos pelo juiz e sua equipe eleitoral, e tiveram parecer favorável por parte do Ministério Público Eleitoral, representado pela promotora Fernanda Pataro. Akson Rosa (Cidadania), Luizinho (DEM) e o prefeito interino Enoc Souza (Patriota), seguem em suas campanhas e acreditam na cassação da ex-gestora neste novo momento.

“Como disse o juiz, será que não se existe outro nome? É um caso de vaidade com o poder? O magistrado deixa a corte em uma situação de divisão inclusive, já que legalmente o candidato que causa nova eleição, do novo pleito não deverá participar”, declarou o consultor jurídico de Livre, José Carlos Arouca.

Até o próximo dia 27 de agosto a corte baiana eleitoral deverá emitir um parecer de acordo com o prazo para os recursos dos prefeitáveis.

> divulgue

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here