A família de uma vítima de acidente de moto no último dia 22 de abril, na cidade de Itiúba (BA), irá entrar na Justiça buscando reparação após o que consideram uma série de “negligências” por parte da prefeitura e do governo do Estado. A motorista de transporte escolar Lindiane Silva de Novais, 39, chocou-se contra outro motociclista na tentativa de desviar de um buraco em um ponto entre as estradas BA-381 e BR-407, na altura do povoado Sítio do Moço. O local não possui placas de sinalização. O segundo motorista morreu na hora e o corpo ficou por mais de três horas sob o sol até a chegada da perícia sem polícia para guardar o local. A motorista, sem a chegada de ambulância, foi levada por um carro para o Hospital Municipal de Itiúba e morreu no caminho para o Hospital Municipal de Senhor do Bonfim em uma ambulância que não possuía UTI móvel onde a paciente pudesse ser entubada. Posteriormente, o corpo foi liberado pelo IML (Instituto Médico Legal) apenas 24h após o acidente. Conforme os familiares da vítima, ainda houve dificuldade para a vítima ser enterrada, devido à tempestade durante o trajeto para o cemitério municipal de Itiúba. Por conta do mau estado de ponte que permitia chegar ao local, quebrada há dois anos, veículo chegou quase a derrubar o caixão da vítima na enchente. “Chorar é todo dia, toda hora, mas Jesus está me segurando para superar”, afirma a dona de casa Iramilde Silva de Novais, 63, mãe da vítima. A aeroviária e prima da motorista, Mylenna Souza Lirio, 29, que mora em São Paulo, buscou contato com as autoridades e reclama da falta de retorno. A família deseja entrar na Justiça para buscar reparação pelo ocorrido. “Foi negligência em todas as esferas em que você pode imaginar de poder de política pública, de segurança, de infraestrutura, de saúde e de transporte. A ambulância não chegou na estrada, não havia ambulância com UTI móvel e precisaram transportar a minha prima para um hospital a 70 km da cidade. Se não fossem por amigos, até o corpo da minha prima tinha caído dentro da enchente”, reclama a familiar. Segundo a aeroviária, Lindiane Silva era conhecida na cidade por ter ajudado muitas pessoas com favores diversos, inclusive com transporte. Ela era motorista de perua escolar municipal. A prefeitura de Itiúba não respondeu aos contatos da prima da vítima, mas emitiu uma nota de pesar pelo ocorrido. Já a Ouvidoria Geral do Estado da Bahia, por meio das redes sociais, afirmou que a rodovia onde aconteceu o acidente é de responsabilidade apenas do poder municipal. (Redação: Arthur Gandini) – Fonte dessa matéria:  Ubaitaba urgente

> divulgue

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here