Há três anos, o antigo “rei da noite” José Victor Oliva viu uma de suas criações sob ameaça. A decisão da gigante das bebidas AMBEV de transferir seus recursos de patrocínio do desfile das escolas de samba da Marquês de Sapucaí para os blocos de rua poderia ser o fim de uma tradição de 25 anos: o camarote das celebridades do carnaval

Sem ter toda a conta paga por Brahma ou pela Antárctica, Oliva teve de buscar patrocínios no “pinga-pinga” para criar o Camarote N°1. Três anos depois, ele se prepara para levar o conceito de camarote exclusivo para diversos outros eventos.

A primeira dessas empreitadas já está a todo vapor. O empresário, que também é dono de casas noturnas – como o tradicional Bar Riviera, na esquina da Paulista com a Consolação -, está montando cinco noites de festa em Itacaré, na Bahia, para fazer o primeiro Réveillon N°1.

Não é a primeira vez que ele promove uma vira de ano, mas será a estréia da marca Nº1 fora do universo do carnaval. No ano passado, durante os dias de folia, ele já havia criado extensões de marca, como uma feijoada, uma “balada” e um hotel.

“São todas ações que devem crescer em 2020”, adianta o empresário.

Organizar um réveillon na Bahia, no entanto, exige um esforço logístico maior do que o carnaval no Rio de Janeiro, que já tem uma cadeia de fornecedores azeitada há quase três décadas.

Ao contrário do ocorre do Rio, onde o cliente só vira “problema” da empresa de Oliva, a Holding Clube, a partir do momento em que chega ao ponto de encontro para ir ao camarote, em Itacaré foi necessária uma parceria com a operadora de turismo Enjoy para garantir que o traslado até o destino final.

Dias de Festa

O Réveillon Nº1 não vai se resumir à virada de 2019 para 2020. Serão cinco dias de festa, começando no dia 28, com 4 mil ingressos vendidos em cada uma das noites.

Haverá também pacotes intermediários, mas com um preço por noite relativamente mais alto. “Será um local pé na areia, e muito maior que o Camarote Nº1” adianta Oliva.

Por enquanto, o único patrocinador fechado para o Réveillon Nº1 é a AMBEV. Outras parcerias estão em andamento, segundo Oliva, que fechou parceria com a ticket360 para a venda de ingressos. Agora ele tenta atrair marcas de carros, bebidas quentes, e bancos para completar o orçamento para a festa de ano novo na Bahia. A intenção, diz o empresário, é atrair R$ 30 milhões à economia de Itacaré.

Coluna Economia & Negócios do estadao.com.br

Blog Mídia & Marketing, por Fernando Scheller

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here